Sábado, 15 de Março de 2008

Letra D

Distúrbios Electrolíticos – alguns exemplos desse tipo de distúrbios é a elevação do potássio sérico (hipercalcemia) que pode produzir onda P larga e achatada, QRS largo e onda T pontiaguda. Já a sua diminuição produz onda T achatada ou até a sua inversão. Outro exemplo é o distúrbio de cálcio, em que o ECG mostrará intervalo QT curto no caso de hipercalcemia e QT longo, na hipocalcemia.

Derivações bipolares (D1, D2, D3) – deslocamento das três linhas formando o triângulo de Eithoven, cruzando com precisão o tórax (coração), obtendo-se uma interseção que constitui as derivações bipolares.

 

Derivações unipolares dos membro aVR (direita),aVL (esquerda) e aVF (pé) – obtém-se pelo acréscimo de outas três linhas de referência da interseção que constitui as derivações bipolares, com ângulos de 30º entre si. Em todas estas derivações considera-se negativo o eléctrodo explorador.

 

Derivações precordiais – localizadas no plano horizontal. São as derivações V1, V2, V3, V4, V5 e V6. Medem a diferença de potencial entre o tórax e o centro eléctrico do coração (nódulo AV), e vão desde V1, (4º espaço intercostal, na linha para esternal direita) a V6, no 5º espaço intercostal, na linha auxiliar media esquerda. Em todas estas derivações considera-se positivo o eléctrodo explorador.

Derivações do Electrocardiograma – ligações do 12 eléctrodos (medem a diferença de potencial eléctrico entre dois pontos do campo eléctrico) aplicados sobre zonas pré-definidas do corpo humano durante o exame em causa. As derivações são definidas através da polarização dos eléctrodos.

Despolarização das células cardíacas -  A célula totalmente despolarizada fica com a sua polaridade invertida. Originado pelo nódulo sinusal, localizado no átrio direito.

 

Despolarização ventricular -  a alta velocidade de condução das fibras de Purkinjie assegura que a despolarização se espalhe rapidamente por toda a face endocárdica do coração. A travessia das paredes livres dos ventrículos do endocárdio para o epicárdio é assegurada pela condução através de células ventriculares contrácteis.

 

publicado por bioengenhariaestgp às 23:44
link do post | comentar | favorito

.o nosso curso

.pesquisar

 

.Março 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Bioengenharia na ESTG de ...

. Introdução sobre a Bioeng...

. A História da Bioengenhar...

. Glossário de Termos relac...

.Arquivo

. Março 2008

.Glossário

. Glossário de Termos relac...

. Letra A

. Letra B

. Letra C

. Letra D

. Letra E

. Letra F

. Letra G

. Letra H

. Letra I

blogs SAPO

.subscrever feeds